Avançar para o conteúdo principal

Album de Rufina

Foto de capa de Rufina (v. recensão) - Maria Rufina Sousa Melo Tavares, com o filho, a nora, e uma neta (c. 1912)
Paraíba, São Miguel de Taipu
Olinda, subida até ao largo da Misericórdia, junto ao antigo hospício atrás da igreja 
Olinda, igr. Misericórdia
Olinda, igr. Misericórdia, retábulo
Vapor Açor, 1877-1905 (in: Restos de Colecção, "Empresa Insulana de Navegação")
Enseada e porto de Capelas (foto josecouto46, http://www.acores.net/canalacores/view.php?id=494109)
Ponta Delgada, Rua do Peru, nº 58 (à direita na imagem) e nº 60 (moradia construída posteriormente por FL Tavares em parte do terreno anexo à casa que Maria Rufina herdara das tias Abigail e Jacinta)

Antiga igr. da Mãe de Deus (c. 1900)
Igr. do Colégio dos Jesuítas, onde (ainda inacabada) o Pe. António Vieira pregou o Sermão de Sta. Teresa 
Pe. António Vieira, Sermão de Santa Teresa no Colégio da Companhia de Jesus na ilha de S. Miguel
Porto da Calheta Pero de Teive (ladeira das Águas Livres ao centro, em direção à R. Peru, 2ª metade séc. XIX, in: História dos Açores, "Ponta Delgada até 1899")
R. Mercadores e R. Misericórdia (in: História dos Açores, "Ponta Delgada até 1899")
Largo da Matriz (1890's, in: História dos Açores, "Ponta Delgada até 1899")
Café Suisso (dp. C. Miranda 1890's, Pç. Município, in: História dos Açores, "Ponta Delgada até 1899")
Mercado da carne (Pç. Município, in: História dos Açores, "Ponta Delgada até 1899")
Igr. Matriz, saída de casamento "rico" (in: História dos Açores, "Ponta Delgada até 1899")

Campo de S. Francisco (1890's, in: História dos Açores, "Ponta Delgada até 1899")

Teatro Micaelense, 1864-1930 (in: Restos de Colecção)

v. minutos 2:57-3:03 - F.L. Tavares (me parece) à direita da figura central, em 2º plano


Proclamação da República em Ponta Delgada, Francisco Luís Tavares (ao centro esqª com cartola) a conversar com o cor. Virgílio Soares de Albergaria

Evocação da participação de F.L. Tavares na Ass. Const. e na anterior revolta coimbrã, Diário de Lisboa, 04/10/1965

Comentários

  1. Caríssimo,
    acabo de ler o teu "Rufina" que por puro acaso descobri nos escaparates, sintomaticamente, no passado dia 5 de Outubro numa das minhas descidas à cidade em dia feriado. Gostei, pretendo publicar uma recensão em breve.
    Abraço amigo.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Qualquer comentário cortês é bem-vindo, em particular se for crítico ou sugerir desenvolvimentos.